Casa > cibernético Notícias > Less Malware for Windows, Mais para o MacOS e Linux (Relatório 2016)
CYBER NEWS

Menos Malware para o Windows, Mais para o MacOS e Linux (Relatório 2016)

Devido ao seu domínio global no mercado, Janelas sempre foi o sistema operacional mais visados ​​lá fora. Contudo, Microsoft tem se esforçado para garantir o seu produto, o que levou a um (isso não) resultado surpreendente. Acontece que o mais seguro do Windows vai o mais propenso a ataques MacOS e Linux Torne-se. Mesmo que possa parecer estes eventos não estão diretamente relacionados, é verdade que os sistemas operacionais últimos vimos mais ataques do que nunca.

Story relacionado: OSX.Pirrit - os Malware Adware comprometer Macs

De acordo com duas segurança AV-TEST relatório para 2016/2017, sistemas Apple ter visto três vezes mais ataques em comparação com anos anteriores. Como para Windows, o malware visando sistema operacional da Microsoft aumentou o insignificante 10%. Além disso, a quantidade de malware especificamente criados para o Windows sequer diminuiu 13%.

Ele permanece positivo notar que a tendência de malwares em declínio em 2016 forneceu algum alívio, pelo menos quantitativamente. portanto, comparado com 2015, sistemas de detecção foram obrigados a buscar e defender contra 14% menor número de amostras de software malicioso,”Diz o relatório. “No total, este ascendeu a precisão 11,725,292 menos recentemente desenvolvido programas de malware do que no ano anterior.”

Contudo, é lamentável que o volume de recém-desenvolvido em malwares 2016 ainda é a segunda maior desde a primeira vez AV-TEST começou a medir os números, pesquisadores dizem.


Mais Popular do Windows, Linux e Apple Malware


Mesmo que o Windows ainda é o sistema operacional mais alvejado lá fora, máquinas Apple e Linux gravou três vezes mais ataques.

De acordo com as medições do instituto, o malware mais popular do Windows em 2016 foi Allaple, uma ameaça que está ativo desde 2006 ou ainda mais cedo. Em seguida na lista populares são Virut, Ramnit, e Virlock. Curiosamente, embora os ataques ransomware foram bastante prevalente no ano passado e continuou a sê-lo em 2017 (WannaCry, NotPetya) , contas ransomware para menos de 1% de todos os malwares do Windows. Vírus e worms continuam no topo da lista com, respectivamente, 37.60% e 25.44%.

Story relacionado: Linux / Shishiga Malware Bruto-Forças credenciais SSH

O número de amostras de software malicioso no 2016 diminuiu 15% em relação ao ano anterior. Contudo, a curva de febre subiu novamente pela 7% no primeiro trimestre de 2017. Na época, esse relatório foi concluído no final de Junho 2017, já havia 600 milhão de programas de malware detectado pela AV-TEST como alvo o sistema operacional utilizado frequentemente de Redmond.

Mac OS, por outro lado, tem visto muitos Trojans - o tipo de malware que prevaleceu na 2016 no 85.59%. ransomware representa 0.07% de todos os ataques.

Com uma taxa de crescimento de mais de 370% em relação ao ano anterior, não é exagero falar de crescimento explosivo. Contudo, também é importante para manter um olho sobre o número total de programas de malware com o qual os criminosos tentam enganar os usuários de Mac: Considerando que, 2015 havia uma moderada 819 diferentes ameaças de malware visando MacOS, usuários da Apple em 2016 já tinha que proteger seus dispositivos de 3033 amostras de malware.

Como para o malware mais popular Mac em 2016 - os três principais nomes são Flashback, MacControl, e Keranger.

O relatório também presta atenção à botnet Mirai. “Devido a erros de programação e a variante de ataque orientada para o público, DDoS, os programas de malware deste tipo eram relativamente fáceis de localizar”, nota pesquisadores. O que é bastante, infelizmente, e no mesmo problemático tempo é que a maioria dos dispositivos da Internet das coisas não conseguiu oferecer qualquer protecção eficaz contra as infecções Mirai.

Internet das coisas Malware – Nada de novo

E quanto a outros tipos de malware Linux? Por exemplo, o backdoor Tsunami tem sido ativa por muitos anos e pode ser facilmente modificado para direcionar dispositivos da Internet das coisas. AV-TEST detectada pela primeira vez a ameaça em 2003, e mesmo que não havia Internet das coisas malwares naquela época, o backdoor foi suficiente suficiente para oferecer funções que iria trabalhar até hoje. malwares velho pode de fato ser usado em ataques DDoS relacionadas com a Internet das coisas.

Story relacionado: Linux / NyaDrop: Novo Malware na Internet das coisas Horizon

Tsunami não é o único antigo malware que pode ser deslocado para dispositivos da Internet das coisas. O worm Darlloz, conhecido desde 2013, juntamente com muitos outros tipos de malware Linux e Unix, têm padrões de ataque semelhantes. Isso significa apenas que a Internet das coisas Malware é nada de novo, eo número crescente de dispositivos conectados continuará a piorar as coisas a cada ano.

Milena Dimitrova

Milena Dimitrova

Um escritor inspirado e gerente de conteúdo que está com SensorsTechForum desde o início do projeto. Um profissional com 10+ anos de experiência na criação de conteúdo envolvente. Focada na privacidade do usuário e desenvolvimento de malware, ela acredita fortemente em um mundo onde a segurança cibernética desempenha um papel central. Se o senso comum não faz sentido, ela vai estar lá para tomar notas. Essas notas podem mais tarde se transformar em artigos! Siga Milena @Milenyim

mais Posts

Me siga:
Twitter

Deixe um comentário

seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

Compartilhar no Facebook Compartilhar
Carregando...
Compartilhar no Twitter chilrear
Carregando...
Compartilhar no Google Plus Compartilhar
Carregando...
Partilhar no Linkedin Compartilhar
Carregando...
Compartilhar no Digg Compartilhar
Compartilhar no Reddit Compartilhar
Carregando...
Partilhar no StumbleUpon Compartilhar
Carregando...